pet

Cachorro pode comer espinha de peixe? Descubra já

Tempo de leitura: 4 minutos

Quem gosta de avaliar os diversos produtos alimentícios disponíveis para cães já deve ter reparado que muitos deles têm gosto de peixe. E não é à toa: sabores como salmão e atum costumam ser muito apreciados pelos amigos de quatro patas. Porém, será que cachorro pode comer espinha de peixe?

cachorro branco recebendo petisco do tutor

Se você gosta de peixe e costuma compartilhar a comida com o cachorro, é esperado que essa dúvida já tenha surgido em sua mente. Afinal, muitos tipos são consumidos com espinha e tudo, não é mesmo?

No entanto, quando o assunto é alimentação para cachorro, é preciso sempre tomar cuidado. Nem tudo o que faz bem para os humanos é indicado aos pets. Sendo assim, preparamos um conteúdo completo para você saber mais sobre o isso. Confira!

Quais são os riscos da espinha de peixe para cachorro?

Por serem muito pequenos, com uma espinha bastante fina e delicada, vários peixes são consumidos por inteiro quando estão fritos. Contudo, coisas que são relativamente inofensivas para os humanos podem ser prejudiciais quando oferecidas como comida para cachorro.

Antes de saber se cachorro pode comer espinha de peixe ou não, entenda que alimentos fritos de qualquer tipo nunca são recomendados para os cães, devido ao alto teor de gordura. Quanto às espinhas, por serem estruturas finas, elas são perigosas, já que se rompem facilmente.

Isso pode torná-las ainda mais pontiagudas, aumentando o risco de perfurações em órgãos do sistema digestivo, como esôfago, estômago ou até mesmo intestino. Lembre-se de que as espinhas também podem ficar alojadas na garganta do cachorro, provocando muito incômodo ou obstruções.

Vale dizer que a contraindicação vale tanto para a espinha do peixe cru quanto para o alimento cozido. Nesse último caso, o risco de perfuração é ainda maior, pois o aquecimento em temperatura elevada costuma alterar essa estrutura, tornando-a mais frágil.

É importante destacar que a recomendação também serve para a estrutura óssea de outros animais. Por serem mais finos, os ossos de galinha são especialmente perigosos aos cães, principalmente os das asas e dos pés.

O que fazer se o cachorro comer espinha de peixe?

Você já descobriu se cachorro pode comer espinha de peixe ou não. Porém, o que fazer se o mascote ingeri-la de forma acidental? O primeiro passo é manipular a boca dele com cuidado para verificar se não há restos da estrutura na região.

Em seguida, ofereça algum alimento atrativo, como um biscoitinho para cachorro. Isso ajuda a evitar que a espinha desça sozinha pelo trato digestivo, criando uma barreira que ajuda a diminuir o risco de perfurações. Além disso, estimule o pet a beber água.

Adotadas as medidas acima, observe atentamente o cachorro nas horas e nos dias seguintes. Caso ele apresente qualquer alteração, como apatia, perda de apetite e dificuldade para evacuar ou ausência de evacuação, procure um médico-veterinário. Ele vai saber como lidar com seu animal de estimação.

cacchorro golden retriever comendo de um pote de inox

Peixe sem espinha para cachorro: pode ou não?

Você já descobriu se o seu cachorro pode comer espinha de peixe. Além disso, conferiu os principais riscos que a estrutura óssea desse animal pode oferecer ao seu pet. Contudo, será que o alimento sem os espinhos pode ser oferecido aos bichinhos de estimação?

Desde que a espinha seja completamente removida, é permitido oferecer alguns tipos de peixe como comida de cachorro? Na verdade, esse alimento é bastante nutritivo, pois é rico em nutrientes importantes, como o ômega 3.

Assim, é essencial para diversas funções do organismo, como para o sistema nervoso central. Inclusive, é comum que ele seja utilizado na formulação de dietas caseiras prescritas por veterinários. Quando preparado de forma correta e oferecido com moderação, o peixe pode ser usado como petisco.

Na hora de escolher, prefira peixes menos gordurosos, como atum, tilápia e sardinha. Conforme mencionado, é fundamental remover todas as espinhas e outras estruturas que possam causar engasgos e lesões antes de servir.

Para aqueles que pretendem fazer a transição para a dieta caseira, é importante contar com um especialista. Agora, caso o intuito seja utilizar o peixe como petisco, observe o que o cachorro come diariamente e lembre-se: a quantidade oferecida nunca deve ser superior a 10% do total de calorias consumidas pelo pet por dia.

Peixe cru: devo oferecer?

A respeito da oferta de peixe para cachorro, é importante destacar que o alimento deve estar cozido ou assado. Embora os humanos tenham o hábito de comer peixe cru, o alimento sem cozimento está sujeito às contaminações por microrganismos. Alguns deles são responsáveis pela salmonelose e pela toxoplasmose.

Por isso, em geral, o consumo de peixe cru é contraindicado para gestantes, devido ao risco de intoxicações. O congelamento não é suficiente para eliminar todos os microrganismos. Assim, somente o cozimento garante a correta profilaxia, evitando problemas de saúde.

Para temperar, aposte em uma pequena quantidade de sal e azeite. Algumas ervas também podem ser utilizadas para dar mais sabor, como orégano e alecrim. Tome cuidado apenas com ingredientes que não estão na lista “do que cachorro pode comer”.

salmão temperado

Gostou de saber se cachorro pode comer espinha de peixe? Aqui, no blog da Petz, já falamos sobre diversos alimentos permitidos e proibidos para cães. Confira outras matérias e acompanhe as redes sociais para mais informações!

Foto Pets

Source link

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *